Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Papel e Caneta

Papel e Caneta

06
Abr20

Mais um poema

Ana Catarina

Não me interessa tocar muito
Se o muito que toco não toca em ti

Não me interessa escrever
Se esse tanto que escrevo
Não se lê por aí

Talvez de um jeito singelo
Esse sorriso amarelo
Que sempre trazias
Fosse mais claro que todas as melodias que ouvias
para mostrar que não estavas nem aí

Mas olha que eu estava
Só não sei bem onde
Se na Austrália
Ou numa fortaleza, num esconderijo
Contei que estivesses por lá também
Não foi um espanto quando não te encontrei

Nunca te quiseste esconder
Não faz o teu estilo
Não é que o tenhas
Ou que eu tenha reparado
E Se o fiz foi sem querer
Querendo sem saber
Porque o pouco que sabia
Já estava do outro lado

Nessa terra calma de tão agitada que é
Duas ondas aí já enchem a maré
Não é preciso muito
Muito menos mergulhar
Para ver que o mar é fundo
Demais para se navegar
Só molha os pés quem tem coragem
Os outros de longe pensam que é uma miragem
"Aqui só entra quem sabe nadar
E mesmo esses têm medo de se afogar"
Quem entra não sai igual
Conhece da vida
Algo essencial
Sai mais rico, mais feliz
Por ter sido do amor um fiel aprendiz

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2020
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D